segunda-feira, 13 de outubro de 2008

Meu ontem no dia das crianças


A semana finalmente sorriu com brilho de sol! Ontem, domingão, após abraçar carinhosamente a amiga de magistério (época boa em que dava aulas!) num culto em ação de graças por sua recuperação (saúde restabelecida, graças a Deus), rever queridos aos quais não via há alguns aninhos, decidi que deveria sentir o azul do mar com os odores de sal que a Baía de Guanabara elimina nas quebras das ondas. Da calçada do Copacabana Palace já sentia o perfume do mar, foi o que comentei com um amigo e com o filhinho dele, de dois aninhos (no meu colo), que resolveram me acompanhar. Andar com criança é sempre uma festa pra mim. A areia da praia foi um picadeiro, estejam certos. Passeei pelo Leme até Copacabana. Desisti de chegar à Ipanema, pois uma multidão me impedia. Um milhão e meio de pessoas, muitas das quais colhendo assinaturas em favor da aprovação no congresso do PLC 122/2006 pela criminalização da homofobia. No metrô, ao retornar pra casa, brincando distraidamente com as duas crianças no banco à minha frente, esbocei um furtivo diálogo com a linda jovem que, sentada ao meu lado, era só sorrisos para as crianças. Quem me conhece sabe que estabeleço relações com anônimos em qualquer lugar, principalmente nas viagens e em supermercados. Ao meu lado, porém, não se tratava de alguém anônimo. Ambos – ela e eu – consultávamos o pensamento pra identificar de onde nos conhecíamos. O pensamento latejava palavras tentando colher resposta – “de onde é que eu a...”. Foi quando, numa e outra brincadeira com as crianças à frente, sorri e disse: você parece demais com alguém que não vejo há muito tempo! Ela, disputando sorrisos com os olhos, me confessa: “- Sabe que eu também tô com a impressão que te conheço, mas não sei de onde...?”. Prossigo, quase certo de quem se tratava: nossa, como você é parecida com uma amiga que conheci num evento, o nome dela é Patrícia. Ao que ela, olhiaberta (embora boquiaberta também!), confessa: “- Meu nome é Patrícia!”. Então, é você mesma! Nos vimos pela última vez no Fórum de Educadores lá na Casa de Banhos de Dom João VI (a residência de veraneio do imperador, atualmente, Museu da Limpeza Urbana da Prefeitura do Rio). “- É verdade! Jurava que te conhecia, mas sem saber de onde!”, completou. Dali em diante, abraços, beijos e diálogos repletos de frases com boas recordações. Anotei o endereço do blog e ofereci-lhe com a promessa de que aquele encontro renderia um post. Promessa é dívida. Meu final de noite ainda me surpreenderia com mais criança para um dia tão especial quanto o das crianças: meu sobrinho, de três aninhos, e minha irmã estavam lá em casa num convite para jantar feito por minha mãe. Mais brincadeiras e mais colo, levei-os até o portão. Despedimo-nos. O dia das crianças havia cumprido seu papel em mim...

Notas de rodapé:


Pá ti, Patrícia: é a imagem que guardei quando te cliquei no evento há quase dois anos atrás, lá na Casa de Banhos de Dom João VI. Homenagem pelo reencontro! Saudades dos amigos!

Quem pode, pode: aproveite a viagem e os dias em Brasília, Madrezita. Não esqueça daquele roteirinho que sugeri. Déia vai gostar de te conhecer.

Inho-inho: você (**) faz falta, arretado! Apareça!

6 comentários:

Serginho Tavares disse...

ah que dia lindo e fofo
o meu domingo foi de beijos, abraços e sexo

essa vida me cansa
tenho que arrumar um namorado logo!


beijos

ps: quem é inho inho? conheço? hihihihi

[Farelos e Sílabas] disse...

...

Hehe! Seu domingo pelo jeito foi intenso. Se foi ao lado de quem te fez bem, como poderia cansar?

...

mãezinha, anna maria disse...

Olá meu lindo filhote.
Realmente estou amando Brasília! Estou descansando a minha cabeça, quero esquecer tudo. Quanto ao programinha que você sugeriu tá meio difícil, mas vou tentar novamente fazer o convite que fiz a ela neste domingo e ela não pode.
Não tenho mais dúvidas que você é lindo demais. Lendo este seu texto, achei o máximo o reencontro com uma jovem que conheceu na Casa de Banhos e agora colocou a foto dela. É... você é nota 100000000, nem sei quantos zeros poderia colocar aqui, mas... vou parar por aqui.
Um beijo grande no coração mais lindo que existe.
Su madrezita, ANNA MARIA

[Farelos e Sílabas] disse...

...

Estou gostando muito das informações que recebi de sua estada por aí. Soube ontem que Déia e Mauricio se desfizeram do carro, parece-me que, em se tratando de Brasília, estão num sufoco para sair para eventos ou passeios.

Aproveite mais e mais! A vida de fato vale a pena!

Agora, quanto à nota que me deste, mãe é sempre suspeita pra votar, né? (risos e risos).

Beijão!

...

Sérgio Roberto Sandes disse...

Eis que aqui estou...todINHO seu...

Sol, mar, areia, e um céu pintado de AZUL...o que mais pode-se querer?

Eu, quando era criança, achava o domingo tão tristinho, ainda hoje acho um dia vazio...mas lendo-te acho que o domingo é uma questão de pintá-lo...com cores fortes.

Beijos dentro de xêros
Abraços dentro do espaço entre nós...

SAUDADE

[Farelos e Sílabas] disse...

...

Sabia que aparecerias!

As cores dependem do olhar que projetamos sobre as coisas, sobre os dias e sobre os pensamentos. Cores que, unidas, não são miscelânia simplesmente. São tons de Graça, pois há um Pintor que põe VIDA onde alguns só conseguem ver a cor, seja qual for. Essas são as cores fortes, meu danado.

Sem qualquer espaço "between", os abraços por dentro!

NÃO MENOS, saudade.

...

Related Posts with Thumbnails