sexta-feira, 12 de setembro de 2008

Libras e uma cultura própria


Dizem que os brasileiros costumam não ter memória dos fatos. Pode ser que muitos não tenham. Muitos se acostumam ao viver presente. Mas presente sem passado não é caminho seguro, firme. Poucos somos os que sabemos de nossos direitos. Poucos têm acesso a muitos direitos. Tudo bem, verdade que não poucos também não se preocupam com suas responsabilidades. Há direitos e deveres a todos, mas também há algo que nos une. A língua. Bem, ao menos deveria nos unir. Poucos brasileiros sabem que o país tem, ao lado da língua portuguesa, um outro idioma oficialmente reconhecido por lei federal. Libras – Língua Brasileira de Sinais – é desde 24 de abril de 2002 o segundo idioma a que todos os cidadãos precisariam conhecer e falar. A lei, sancionada pelo ex-presidente, Fernando Henrique Cardoso, foi regulamentada em 22 de dezembro de 2005 pelo presidente Lula, através de decreto. Portanto, não se trata de uma lei pra não pegar, mas de um idioma pra se aprender. Todos os brasileiros! Milhares de surdos agradecerão!

Você conhece Libras?

Mais de três milhões e meio de brasileiros são surdos, você sabia disso? Uma parcela pequena, bem pequena, dos surdos são considerados oralizados. Surdos que falam Libras e português são chamados bilíngües. Considerando a oralização nos processos de bimodalismo, nada há que se compare à dimensão do universo da língua de sinais. Há muitos sinais em Libras que não tem tradução para o idioma português. Assim como a palavra “saudade” é difícil de se explicar para um estrangeiro, o mesmo acontece com alguns sinais para um ouvinte. Nós, intérpretes de Libras, bem o sabemos!

Os surdos não apenas possuem um idioma natural, possuem também uma cultura própria. Eis a principal razão pela qual os ouvintes nem sempre são pacientes com surdos (e vice-versa). Processos de desconhecimento de suas respectivas culturas (a surda e a ouvintista). Empresas e quaisquer instituições que pretendam se abrir para oferecer oportunidades a surdos ou mesmo para atendimento ao público em geral (escolas, delegacias, bancos, cartórios, hospitais, postos de saúde, balcões de emprego, INSS e muitos outros serviços) precisam conhecer a dita cultura surda. Aí é que está o xiz da questão. Quando aprendem o idioma, esquecem-se da "cultura" desses "brasileiros estrangeiros". Lidar com a língua de um povo é também mergulhar no seu universo particular representado pela riqueza de sua cultura.

Mas, hoje, ficarei apenas com a dica para que alguns se despertem a conhecer o idioma. Numa outra oportunidade falarei sobre meu trabalho com cegos (de maio de 1997 a dezembro de 2000).

Nota: Na imagem acima, Filipe Machado, para quem seguem os créditos.

7 comentários:

Serginho Tavares disse...

todo mundo deveria aprender!

mãezinha, anna maria disse...

Filhote, amei seu texto sobre Libras. Fico tão feliz com o seu desempenho em falar de LIBRAS (Língua Brasileira de Sinais). Me lembrei do nosso primeiro encontro com a Oficina de Libras,do Ministério Ephatá da Igreja Batista da Lagoinha.Me lembro que te liguei, fiz sua inscrição, você veio fazer a Oficina de Teatro e a de Libras. Fiquei tão feliz naquela época... e depois continuei a te mandar alguns vídeos de interpretação, etc... cheguei a ir na FENEIS de BH, comprei uma agenda linda, livros, etc... depois eu conheci algumas coisas mais e ia te mandando e você acabou frequentando o INES aí do Rio, se formou e hoje é um intérprete.
A mãezinha formou em junho mas não vou trabalhar com surdos. Converso com eles, mas não é meu ministério ser intérprete. Amo os surdos, alguns você conhece e outros não. Acho que todos deveriam se interessar pela língua, é outro idioma e é lindo!
Outro dia eu resolvi um problema sério entre a balconista e uma surda que já estava quase partindo para tapas, na C&A. Eu pedi a ela calma, perguntei se precisava de ajuda e ficou tudo resolvido.Tadinha da surda.Ela trocou uma peça de roupa,um pouco mais cara e achou que não precisava pagar e estava quase batendo na balconista.
Acho que podemos ajudar em várias ocasiões.
Filho querido e muito amado, receba um beijo grande no seu coração, da sua mãezinha que te ama muito, ANNA MARIA

[Farelos e Sílabas] disse...

...

Concordo, meu amigo, meu "terceiro" Serginho leitor neste blog (risos).

Mas, fica frio. Os outros dois Serginhos [ainda] não deram altas gargalhadas comigo numa pizzaria. Só você...

Libras é uma questão de cidadania!

Volte mais vezes!

...

[Farelos e Sílabas] disse...

...

Sim, mãe, lembro-me perfeitamente que tudo começou com suas iniciativas perspicazes. Uma boa mãe tem olhos de águia, né mesmo?

Posso dizer que engatinhei com sua valiosa ajuda. E nada pode ser desperdiçado. Hoje, como homem, caminho com meus próprios pés. E ainda lhe sou grato.

Este é o sentido de tudo. Beijo, mi Madrezita. Grato por ser tão presente, independente das fases da vida, do crescimento...

...

Serginho Tavares disse...

aaaaaaaah que bom que apenas eu tive esse privilégio
adoro o número três

ladyneide disse...

Cardo!

Fico encantada contigo, e a nossa sintonia.
Seu texto veio ao encontro do que acompanhei esta semana pela TV Senado, no qual achei importantíssimo.
Foi votado e aprovado o Projeto de Lei de autoria do senador Cristovam Buarque, pela Comissão de Educação - que estabelece a oferta, e a obrigatoriedade do ensino da Língua Brasileira de Sinais na educação infantil e no ensino fundamental.

Investir na educação sempre é o melhor caminho... e nada melhor do que começar pela base!

Parabénssss maninho querido!
Um beijooo enoRmeeee!!! :)
Saudadeeee imensaaa!!!

[Farelos e Sílabas] disse...

...

O Senador Cristóvam Buarque, de fato, sempre carregou a bandeira da Educação como a semente para construir algo novo em nosso país.

LIBRAS, mais do que nunca, é uma questão de necessidade e cidadania. O futuro apontará para os bons resultados. Salve, bendita lei!

Que sintonia bacana a gente tem, né, maninha? Deus nos ilumine a todos nesta trajetória pela inclusão social!

Beijo não menos enoRRRmeee!
Com todas as saudades aZuisss!

...

Related Posts with Thumbnails