terça-feira, 2 de setembro de 2008

Ares de Neruda


"...Eu digo AMOR,
e o mundo se povoa de pombas.
Cada sílaba minha traz a primavera..."

Pablo Neruda

8 comentários:

Mãezinha, ANNA MARIA disse...

Filho, você é realmente fantástico. Sempre colocando alguma coisa do Pablo Neruda, um poeta que admiro desde muito tempo. Tenho livros dele e de fato são poesias lindas. Esta pequenina que você colocou foi uma abertura excelente para a Primavera que breve chegará.
O amor é uma linda poesia!...
Com carinho, meu filho, receba um beijo da mãezinha saudosa, ANNA MARIA

Sérgio Roberto Sandes disse...

Saborear desse farelo tem sido minha refeição constante...
Um primor...e a gente se enche de esperança quando descobrimos um lugar assim...

Deixo aqui um trecho do Guimarães Rosa, que particularmente eu adoro:

"Mãe, o que é que é o mar, Mãe?" Mar era longe, muito longe dali, espécie duma lagoa enorme, um mundo d´água sem fim, Mãe mesma nunca tinha avistado o mar, suspirava. "Pois, Mãe, então mar é o que a gente tem saudade?"

Um abração e prazer...

[Farelos e Sílabas] disse...

...

Caro, Sérgio,

O que dizer nas palavras? Tem coisas que a gente só traduz nos pensamentos, talvez, por algumas vezes nos sons e nos suspiros também. Paro. Agarro o segundo na pontinha do centésimo. Não corra! - vou logo avisando. Preciso engravidar palavra vária, gerar obrigados para quem me traz minutos inteiros de satisfação.

Guimarães só completou a hora. Boa escolha da hora, digo. É ele mesmo quem diz: "Felicidade se acha é em horinhas de descuido". Eita marzão de sabedoria!

Dê-me o prazer das vagas no mar. Elas sempre voltam. E isso independe das horas e de qualquer minuto!

...

ladyneide disse...

Vagalumaninho querido!

Como é bom sentir que a Primavera chegou mais cêdo por aqui...também não há como resistir a um jardim tão bem cuidado, e com tão boa semeadura para recebê-la!
Fico muito feliz! Amooo a estação das flores, das cores, dos amores, e de belas paisagens. Ah, e as pombinhas fazendo festinha pelos "Ares Nerudianos", estas não poderiam faltar jamais...elas vêm pra nos lembrar que sempre haverá Primavera em nossos corações!

Beijosss azuisss, meu querido!

[Farelos e Sílabas] disse...

...


Minha vagalumaninha amada,

Cores. Flores. Odores. Amores. Pomares. Mares. Ares.

Enfim...

Colho cada palavra como flor radiante. O perfume é o carinho que sempre encontro nos teus cuidados de maninha-amiga, presente nas letras e nos acordes mais humanos. A gente reconhece amigos assim, no olhar do outro.

Ponha sempre luz por aqui. As flores agradecerão. O jardim só terá a ganhar. Eu, então... putz!

Beijos em tons diversos!

Mãezinha, Anna Maria disse...

Filho querido!
Já havia lido este pequeno/grande texto de Neruda.
Eu não havia feito nenhum comentário, mas hoje lendo novamente,me lembrei da frase que li certa ocasião e que me tocou muito... "Quem consegue conversar com uma árvore não precisa de psiquiatra..."
Eu acredito muito no amor, na natureza, nas coisas belas que o Criador fez para nós e amo conversar com minhas plantas, falar das minhas tristezas e das alegrias e tenho certeza que elas gostam.
A Primavera está chegando e com ela chegam os pássaros para dar boas vindas às flores... as borboletas começam a beijar cada pétala de flor, agradecendo pela beleza que elas trazem.
Filho, te amo muito e você não imagina como estes textos enchem o meu coração de alegria e ao mesmo tempo de emoção.
Sou chorona sim, porque você está longe e a primavera está chegando e você não vem...
Um beijo, meu lindo, da mãe que te ama de montão.
ANNA MARIA

[Farelos e Sílabas] disse...

...

Lindona, assim até eu leio e choro!

Amei o que disse: "Quem consegue conversar com uma árvore não precisa de psiquiatra...". É preciso estar atento à vida que nos cerca. Há vida ao redor de nós, mãe. Na primavera, então, vida traz consigo cores múltiplas de esperança. Não perca as suas. Nunca.

Vir e "te ver" nas linhas que me cercas é reconhecer borboletas na minha janela. Abro sempre quando venho aqui. Muitas saem voando. Felizes. Coisas suas!

E eu sei disso!

Beijo!

...

Mãezinha, Anna Maria disse...

Filho gostaria de colocar uma poesia linda de Francisco A. de Icaza.

ESTÂNCIAS

Este é o muro e nesta janela,
onde sobe enredando-se a hera,
eu deixei os meus versos a ela
na manhã de uma azul primavera.

E em meus versos a ela eu dizia
como dói, simplesmente, o amor.
Os meus versos deixei e no outro dia
sua alva mão me pagou com uma flor.

Este é o horto e em seu arvoredo,
nas veredas daquele recanto,
ela disse com a voz em segredo:
"Eu te amo e não sabes o quanto".

Junto aos muros daquele moinho,
ao abrigo da sombra das vides,
quando o carro se pôs a caminho,
ela disse a chorar: "Não me olvides".

Na janela a hera ainda medra,
e a parreira que o sítio ensombrou
ainda enfeita o muro de pedra.
Tudo é o mesmo, mas tudo mudou.

Não há na casa mais seres amados;
entre as ramas agora há outras flores;
ninhos, folhas já estão renovados.
Também novos,em nós,são os amores.

Filho, com muito amor, um beijo no seu coração.
Sua mãezinha mineira, ANNA MARIA

Related Posts with Thumbnails