domingo, 24 de agosto de 2008

Notas de uma manhã de domingo


Nota 1 – Clariceando com a manhã: "Não é que vivo em eterna mutação, com novas adaptações a meu renovado viver e nunca chego ao fim de cada um dos modos de existir. Vivo de esboços não acabados e vacilantes. Mas equilibro-me como posso, entre mim e eu, entre mim e os homens, entre mim e Deus." (Clarice Lispector)

Nota 2 – Prata da casa: Sofri, mas tive que controlar meus gritos porque madrugada barulhenta pode gerar incômodos para os vizinhos. A seleção masculina de vôlei lutou, mas não teve como vencer as excelentes jogadas dos americanos. Destaque para Ball, o levantador dos Estados Unidos, e Marcelinho do Brasil. Após a conquista do Mundial, pena não ter conquistado o ouro olímpico. Coisas do esporte. Hora de recomeçar porque eu acredito!

Nota 3 – Agora é Londres 2012: tudo é um reinício. Bom pensarmos a partir daí. Como diria meu raiozinho de luz, Beijim Beijim!

Nota 4 – Registro de presente: Cartinha de mi madrezita lá de Belo Horizonte enviada por sedex. Como me fez bem! Sei que irás ler, lindona!

Nota 5 – Caio no Rio: Alexandre Araújo, por e-mail, me avisa sobre próxima palestra do Caio aqui no Rio de Janeiro. Domingo próximo, 31/08, pela manhã, na rua Silva Jardim, 23, Centro. Pra não ficar do lado de fora, como na última vez em que esteve aqui, lá no auditório do Colégio Shepard, o jeito é chegar bem cedo. Valeu pelo aviso!

Nota 6 – Sou eu mesmo na fotinha junto à xícara de café com leite. Thanks.

6 comentários:

Anônimo disse...

Lindo de mãe, você existe? Como é bom saber que você gostou da cartinha que te mandei.Fico tão feliz.Fui ler o que havia escrito para mim e acabei lendo tudo que você escreveu até o dia 18/08 que foi uma homenagem a esta mãe bobona, chorona, mas que ama muito você. Um beijo no seu coração,meu filho.

[Farelos e Sílabas] disse...

Bobona mas que amo tanto (rsrs).

Que bom que também gostou da homenagem que te fiz! Besos mil!

Anônimo disse...

Lindinho,nunca mais fique tanto tempo sem me dar notícias, viu? A mãezina cá de Minas sabe que mineiro tem que dizer UAI, tem que ter marca registrada, tem que ter uma história(causo)prá contar e a sua mãezinha cá dessas bandas de Minas, tem um filho maravilhoso que caiu do Céu para mim, no de 2000.O que posso querer mais? Que você venha me ver. Um beijo e um lindo botão de rosas. Su madrezita, ANNA MARIA

Mãezinha mineira ANNA MARIA disse...

Lindo de mãe, depois de tantas coisas que falei sobre o que está acontecendo, deixo para você um beijo e uma palavra:

Estou de passagem...

Esse mundo não é meu,
não é nosso, não é seu...
Quanto a mim?
Estou de passagem!
Não guardo rancores, magoas,
amores, dou um fim as minhas dores...
Procuro sempre me lembrar que;
estou de passagem por esse lugar...
Nada posso guardar, pois ,
bagagem não poderei levar.
Cheguei sozinha,
assim também partirei...
De onde vim, trago relapsos,
de lembranças, que desde criança,
estão comigo.
Pra onde de vou?
Só tenho esperança,
na fé que possuo, que faz-me sentir,
que é um lugar seguro,
onde finalmente, me sentirei em casa...


Sua mãezinha mineira que te ama muito, ANNITA

Mãezinha mineira, ANNA MARIA disse...

Meu anjo, hoje quero alegrar o seu coração e como estou lendo um livro "Se quiser experimentar Deus" de Anselm Grün coloco uma poesia que foi inspirada em Mt 13:1-9.
Um beijo grande no seu coração.

Abro os ouvidos do coração
e escuto aquela voz dentro de mim.
Recolho-me a mim mesmo,
e concedo´me um minuto de silêncio.

- Terreno pedregoso.
Silêncio! Escuta!

Tapo meus ouvidos
e fico surdo às vozes do passado,
que me apequenam, que me condenam
e sufocam em mim a vontade de viver
deixando chamuscado o coração.
Fiquei surdo às vozes no meu íntimo
que procuram resultados,
cem, quinhentas, ou mil vezes,
vozes que julgam, vozes que avaliam
e suplantam meu desejo de viver.

Desejo ouvir os tons suaves em minha vida,
aquela voz dentro de mim...
Pois ela é que me chama para a vida,
me liberta para usar a minha força,
mostrar de que sou capaz,
liberta-me para o ser.

Silêncio! Escuta!

Quero ouvir minha voz interior
que aponta meu espaço de viver,
que me diz como posso germinar,
crescer e amadurecer.
A raiz é esta voz interior,
que me dá segurança e me sustenta.
Que protege meu caminho,
que desperta minhas forças
quando o solo pedregoso me resiste
e espinheiros sufocam meu andar.

Fruto. Crescido no silêncio,
no escutar a voz de Deus!

[Farelos e Sílabas] disse...

E eu só tenho a escutar diante do teu silêncio, mas não o das palavras. É do silêncio do aprendizado que me refiro. A mãe silencia ao aprender com a vida; eu, ao te ver caminhando no solo da existência com cabeça erguida, independente de qualquer coisa. Este é o silêncio que me cala. Dizer pra quê?

Beso y beso!

Related Posts with Thumbnails