segunda-feira, 15 de dezembro de 2008

Visitas pra cintilar certezas


Por trás das portas centenárias despontava um salão enorme daquele castelo medieval. Passo a passo o convite se instaurava nos ecos dos sapatos. Convite para sucumbir ao desejo de entrar. Entrei. Percorri o olhar para uns assentos já ocupados. Procurei outros e, de repente, um par de abraços me cumprimenta com tímida certeza. Viro-me para outro lado, vejo algumas pessoas instaladas em garrafinhas de vidro. Não cheguei a olhar a validade. Creio que não seria de bom tom. Sorrisos foram poucos, mas alguns saíram com naturalidade. Olhos distraídos procuravam qualquer coisa pra se fixar. Nada parecia prender a atenção dentro daquelas garrafinhas. O cenário era ritualístico e enfadonho demais. O discurso altamente insosso; por vezes, apelativo para um servilismo sacerdotal que não encontrou em mim – e nos que, mesmo estando, não estavam – qualquer sentido. De repente, um chamado. Dirijo-me ao encontro de um súdito rebelado do Templo do Teatro. Foi o que me salvou daquele cenário. Assentamo-nos lado a lado. Falar sobre Teatro, literalmente, me descongestionou a vontade de sumir dali o mais rápido possível.

Fato é que...

Visitei alguns amigos num determinado lugar ao qual não retornava há seis meses. Lá, um certo desconforto. Senti-me tão distante daqueles ditos ideais a ponto de pensar-me um apátrida. Ao mesmo tempo, um refrigério me acalentava o incômodo com ares serenados de gratidão pelas minhas certezas atuais. Delas não abro mão (só eu sei o quanto me valeram à pena!). Sabe quando se faz uma longa viagem e, meses depois, ao retornar, percebe que as coisas mudaram de foco? Eu percebi que as coisas e as pessoas mudaram. Não me é permitido responder por elas se pra melhor ou pior. Sei é que eu mudei pra meu melhor.

O pensamento. A idéia. A palavra. O comportamento. Como mudamos conforme o crescimento! Seria coerente [com o significado de ser alheio] lastimar porque alguns amigos tão queridos se recusam a crescer, preferindo o lugar-comum aos desafios de uma longa viagem “na” vida? Mais uma vez, não me caberia responder senão por mim mesmo.




A despedida...

Saí daquele castelo debaixo de um tapete de chuva fina e macia. Entre acenos e agradecimentos pelas horas passadas juntos, despedi-me dos mais próximos enquanto abria meu guarda-chuva. Fui-me sem olhar pra trás.

Ao som de “Singing in the rain”, chutei poças d’água com alegria tenaz. A minha própria. Sob os arrepios da liberdade, pulei de pedra em pedra naqueles jardins que já não me encantam mais.


...

4 comentários:

mãezinha, anna maria disse...

Filho querido e muito amado! Como me orgulho de você!... Mudanças? Claro, sempre para melhor. Que verdade você disse, meu filho!
Neste parágrafo que li, me emocionei a ponto de algumas gotinhas de lágrimas descerem pela face...

" Ao mesmo tempo, um refrigério me acalentava o incômodo com ares serenados de gratidão pelas minhas certezas atuais. Delas não abro mão (só eu sei o quanto me valeram à pena!)".

Lindo de mãe, só você para escrever um sentimento tão grande, tão verdadeiro e eu sou uma testemunha de tudo que você passou nesse castelo centenário, cheio de gente instaladas em garrafinhas de vidro...
Ainda bem que você não olhou a validade, senão... a decepção seria maior. Ainda bem, que você saiu rápido dali.

É uma pena que muitos que ali estavam nunca quiseram crescer espiritualmente, conhecer melhor a GRAÇA!

Meu anjo,ainda bem que você está em uma caminhada maravilhosa, onde Deus é Pai.
Vou mandar hoje para você um texto que o Riva escreveu sobre:
"Não tenho certeza da minhas salvação - Graças a Deus"!

Quando li este texto pude perceber quantos... estão buscando a salvação dentro das igrejas e nunca acham.
Se lerem a carta de Efésios 2:8 irão entender: "Porque pela graça sois salvos,por meio da fé; e isto não vem de vós,é dom de Deus".

Aí a pergunta: Entendeu?Não?Então vamos lá:

"A palabra GRAÇA significa FAVOR IMERECIDO, ou seja, não é uma recompensa, mas sim, algo que você recebe sem imaginar que receberia. A palavra DOM significa PRESENTE e, normalmente, você desconhece o presente quando você o recebe.E prá completar: 'E ISTO NÃO VEM DE VÓS'. Ora se a salvação não é algo que sai de mim para mim, ou seja, não é algo que FAÇO POR MERECER, como poderia então ter a certeza da minha salvação?"

Filhote,fique à vontade para publicar ou não este comentário, mas que eu me alegrei muito com o seu texto, ah.... isto é mais do que certo que amei de montão!

Esqueci de colocar mais uma coisinha que ele escreveu (Riva):

"Assim caminho com o meu coração pacificado, sem saber para onde irei, mas com a certeza absoluta que a minha vida está nas mãos Dele e que nestas mãos é o melhor lugar para minha vida estar.Aleluia"!

Um beijo,meu lindo e que essa Graça permaneça em nossos corações, para sempre. AMÉM
Sua mãezinha que te ama muito, ANNA MARIA

HSLO disse...

Nossa amigo faz uma semana que não passo por aqui. E fiquei maravilhado com o texto sobre o AI-5...Perfeito viu.
Essa postagem atual, muito boa viu.

abração.

Alex&Elisa disse...

Unhum (suspiros)

Beijos natalinos...hohoho

Alex

Ph Azevedo disse...

Que lindo. Que poético, como diz uma amiga: Que suble, magestral...QUE LUXO!!!! Não sabia dessa literatura que há em vocÊ. Amei o 1° parágrafo e a saída, BELO! Quero um texto para eu usar no meu "Teatrinho" rs,


P.s ou Pedidos: Escreve algo teatral ou desta mesma forma para eu encenar.

BJOSSS e Precisamos fazer algo CULTURAL.

Related Posts with Thumbnails