sábado, 5 de junho de 2010

Embalos [da madrugada] de sábado à noite



Noitinha fria pede passagem e assenta-se, fazendo-me companhia. Somos eu e ela próximos. O mar anda meio duvidoso, rugindo seus cantos de ressaca, irrequieto com o barulho dos ventos. A natureza tem dessas coisas, a gente não controla. Aliás, o que a gente controla? A lágrima? A saudade? A perda? A ausência? O tempo? A vida? A morte? O presente? O futuro? O quê?

Não temos controle sobre quase coisa alguma. No máximo, quando queremos, a palavra não sai. O texto não sai. O beijo não sai. E tantas outras coisas também não saem...

As coisas parecem ser passageiras? – alguém pode perguntar. Talvez. Depende do que se espera e por quanto tempo se espera. Depende, portanto, de quem espera, não das coisas em si.

Ontem, comemorando o aniversário de um amigo na Lapa, sucumbi a vários momentos sobre os quais não tenho controle. A princípio, não estava disposto o suficiente. Fazia frio e havia muito cansaço sobre a pele que me veste o corpo. A hora também não me soava interessante, pois qualquer evento que inicie após às 22h já me força o [des]controle com as coisas que costumo controlar. No entanto, fui. Algumas coisas não podemos controlar. O momento seguinte é uma delas. O fato é que acabei encontrando amigos outros que não imaginava, gente com quem não falava – sequer por e-mail, carta, telegrama, nada! – desde meados de 2008! Amigos de perto ficaram felizes com minha presença, pois sabem que não sou das viradas da noite, o que aumentava mais ainda a contagiante alegria pelo ineditismo da ocasião. Entre rostos conhecidos e outros nem tanto, fui apresentado a quem não conhecia. Conversei com todos e todas, essas coisas naturais do convívio social dos seres humanos. Emocionei-me com as cores daquelas alegrias e sobretudo com as músicas cantadas ao vivo. “Como nossos pais” me retirou das mãos os aplausos antes tímidos. Há quem canta e quem interpreta. Vi quem faz os dois verbos se tornarem um só pela conjunção carnal.

Entre sorrisos e palavras, gargalhadas e conselhos dados, alegrei-me com a oportunidade do encontro e com a dádiva da vida sobre quem aniversariava. Quando tudo, enfim, preencheu seu lugar no baú das memórias vividas naquela madrugada, despedi-me sob a intensidade das cores daquelas alegrias. Tudo tinha valido a pena até então. E como tudo concorre para lições que aprendemos no incontrolável das coisas, saí a passos gratos daquele bar. Do lado de fora, o friozinho ainda dava o ar de graça. Mas não estava sozinho com minha própria companhia. Um ventinho na consciência me sussurrava a certeza de que ainda havia um pedacinho de noite pra me consolar sob o edredon...

Já que falei em lições que aprendemos, uma delas é que o fluxo da vida não pode ser controlado. É necessário que não consigamos controlá-lo! E assim é com o que não depende de nós. No meu caso, pra quem não estava muito a fim sequer de sair, o cansaço emudeceu diante da emoção do que não esperava. É bom demais não me sentir deus em momento algum. Meus embalos se afirmam no chão do que me estabelece. No baú das memórias, bom mesmo é a essência da simplicidade nas coisas. Como aprendi com meus pais. Sem pretensão alguma, não é que os ecos da canção de Belchior foram comigo para o edredon?! É, bons ecos! E como me ensinam mesmo depois do amanhecer!...

“É por isso que não quero falar das coisas que aprendi nos discos... quero lhe contar como eu vivi e tudo o que aconteceu comigo. Viver é melhor que sonhar e eu sei que o amor é uma coisa boa, mas também sei que qualquer canto é menor do que a vida de qualquer pessoa...”



45 comentários:

Robson Schneider disse...

Meu amigo vc não tem ideia de como é prazeiroso pra mim te ler viu?
Voce tem o poder "raro" repito, "raro" de sugar seus leitores pra dentro do texto, da festa, da musica e com todo respeito...até pro edredon
hahahaha
bjo

[Farelos e Sílabas] disse...

===

Meu amigo, como é certo saber que as letras que te formam em palavra >>a-m-i-z-a-d-e<< não conseguem ficar presas em dicionário algum! Eu as tenho gravadas aqui dentro!

Você me fala dessas coisas, digo do prazer da leitura, pelo prisma do teu olhar sobre a vida. O lance é que você vai para além da palavra, o que dela extrai. Isso é o que traz sabor ao sentido das coisas. A “captura” dos significados que dou ao que digo e ao que vivencio acaba sendo “sugado” pelo teu olhar de leitor!

No mais, o friozinho da noite ainda permanece. Hoje teremos mais edredon! [rs]

Beijão, Robson – o pai [corujão] de filhos lindos!

===

Mãezinha disse...

Meu filho lindo e muito abençoado!

Que delícia o programa de ontem, uma comemoração num barzinho na Lapa, aniversário de um amigo seu.
Se eu morasse pertinho de você, não deixaria de acompanhá-lo, é claro, se você quisesse a minha companhia.

Me delicio com suas palavras, com o carinho que você fala de seus amigos, de sua vida, do seu novo modo de ver as coisas... Fico tão feliz, meu filho, que me dá uma vontade louca de pegar o primeiro vôo da TAM e correr aí na sua Travessa, para te abraçar e lascar um beijo nas suas bochechinhas que me encantam...

Sabe, voltei do retiro com um desejo imenso de ligar para você e contar como foi a minha primeira experiência nos Exercícios da Fraternidade, mas fico achando que não vou te encontrar por isto espero um dia que possamos falar com calma.

Só te adianto uma coisa. Nesses meus quase 70 anos, nunca tive tanto acolhimento... O Paulinho sempre estava procurando me ajudar, não me deixando sozinha e quando me encontrou chorando, ele veio todo carinhoso, me abrançando porque o coração dele já sabia porque eu chorava. Estava querendo naquele momento, a presença do paizão comigo.
Eu sei que aonde ele estiver ele está feliz por saber que eu também estou feliz.

O tema do Retiro foi este: "PODE UM HOMEM SENDO VELHO, NASCER DE NOVO?
Essa foi a perguta de Nicodemos a Jesus.

Foram três dias de palestras, bem puxados e muito silêncio. E como isto me fez bem.

Um dia que você puder me ouvir quero te contar tudo, tudinho, pois foi muito lindo e gosto de compartilhar com você.

O retiro foi nas casas das irmãs Focolares, em Vargem Grande Paulista. A fundadora se chama Chiara Lubich. Um lugar lindo e muito propício ao silêncio.

Querido, fica com Deus e que Ele continue te abençoando infinitamente. Te amo muito, viu?
Mãezinha

"Devemos acreditar: nada acontece por acaso. Nenhum acontecimento alegre, indiferente ou doloroso; nenhum encontro; nenhuma situação de família, de trabalho, de escola; nenhuma condição de saúde, física ou espiritual, é desprovida de sentido. Mas, cada coisa é portadora de uma mensagem de Deus que devemos saber interpretar e acolher com todo o coração"!
(Chiara Lubich)

Dil Santos disse...

Cardo menino, como está?
Gente, deve ter sido ótimo esse seu programa heim? rsrs
É tão bom reecontrar amigos q a tempos ñ víamos né?
Tá desculpado por hora a sua ausência heim? rs
Ah! o pão estava uma delícia por sinal, rs
Bjão carioquinha
:D

Mãezinha disse...

Filho, voltei porque o meu desejo, a minha ansiedade é tanta em querer falar, falar e falar, que resolvi escrever aqui mesmo, pois você sempre lê o que escrevemos e isto é gostoso demais...
É que sempre retorno ao seu texto pois amo ler mais de uma vez e achei tão verdadeiro isto que você disse:

"É bom demais não me sentir deus em momento algum. Meus embalos se afirmam no chão do que me estabelece. No baú das memórias, bom mesmo é a essência da simplicidade nas coisas. Como aprendi com meus pais".

Vou te confessar uma coisa, ultimamente ando me sentindo assim, com os pés nos chão e quanto à simplicidade você me conhece e sabe o quanto amo ser simples. Nisto parecemos um pouco, né?

Antes de ir para debaixo do meu cobertor e por cima dele um enorme edredon, quero deixar uma poesia da Adélia Prado para brilhar nos seus comentários.

Um beijo de boa noite e que seu domingo seja abençoado e coberto de alegrias e vitórias.
Mãezinha xexelenta
Un bacio!

MOMENTO

Enquanto eu fiquei alegre, permaneceram
um bule azul com um descascado no bico,
uma garrafa de pimenta pelo meio,
um latido e um céu limpidíssimo
com recém-feitas estrelas.
Resistiram nos seus lugares,em seus ofícios,
constituindo o mundo prá mim anteparo
para o que foi um acometimento:
súbito é bom ter um corpo para rir
e sacudir a cabeça. A vida é mais tempo
alegre do que triste. Melhor é ser.
(Adélia Prado)

Robson Schneider disse...

Leia-se "Prazeroso" por favor hehehe

Sergio Viula disse...

Tudo de bom, esse post!

Obrigado pelo comentário lá no blog. Arrasou... como sempre!

Um ótimo domingo pra ti, amigão!

Beijo,
Sergio Viula

Serginho Tavares disse...

mas olha que você tem complexo de ciderela e tem medo que ao dar meia noite sua carruagem vira abóbora?

não se preocupe, eu sei que o príncipe vai te achar mesmo sem você ter perdido o sapatinho de cristal!

beijão

sérgio sandes disse...

"Mas eu aprendi com as pontes do Recife: o rio, o mar, tudo se beija, tudo se faz chegar.Passei a noite num cicatrizar de estrelas. Amanhecer dói. Um beijo do Rio com o Mar: lá estás."(Sérgio Roberto)

Meu Cardo,

será que ainda lembras? De mim? De cá? Do xêro? Ah que delícia suas palavras com gosto de manga madura...

Saudade...eu vim. Eu sempre venho. E fico.

Xêro meu no abraço teu...

RAFAEL disse...

ler seu blog é um deleite...

de tantos blogs que leio, nenhum se equipara as clarezas de palavras e expressões tão bonitas...

Não sei se a "Mãezinha" que escreve nos comentários é sua mãe mesmo, mas se for, vejo que o dom da palavra é hereditário..

Abraço Ricardo...( acho que pe esse seu nome...rs rs rs)..boa semana.

[Farelos e Sílabas] disse...

===

Mãe:

Lindona minha, irei resumir pra não ser redundante com o calor das palavras:

Vontade louca? Vontade é vontade, meu anjo. A gente tem tanta saudade que até faz estrela no firmamento da memória... rs. És sempre bem-vinda: a lembrança, a vontade, a mãe...

Que bom que o retiro lhe ajudou a crescer pra dentro mais um pouco. É subindo de degrau em degrau que a gente alcança a porta (tenha ela o nome que a gente der). Ok. Conversaremos mais com calma sobre o assunto!


“E como isto me fez bem.” – não preciso falar mais nada...

Chiara Lubich e Adélia Prado foram golpes de mestra! (rs)

Outro “bacio”, amore!

“Melhor é ser.” (Adélia Prado)

===

[Farelos e Sílabas] disse...

===

Robson:

Ok. Foi lido assim! (rsrs)

===

[Farelos e Sílabas] disse...

===

Sergio Viula:

Imagina, queridão!
Bom demais estar no meio das tuas letras!
Há um papel relevantemente político nos teus posts!
Obrigado, Viula! Grande abraço, ser-pensante!

===

[Farelos e Sílabas] disse...

===

Serginho Tavares:

Huahua!
É que não sou das madrugas, amigo, só isso...
Quanto ao mais, duvido que me ache. Sou plebeu...
Beijo grande, amigo iluminado de alegria!

===

[Farelos e Sílabas] disse...

===

Serginho Sandes:

Meu amigo danado!

Acredite, se quiser: Pensei em ti no sábado. Antes, pensei em ti dias atrás. Pensei em ti e te catei pelo twitter. Não te encontrando, rabisquei um mail para a “vagalumaninha”, o terceiro e-mail sem resposta dela, pois queria reaver o contato.

Pensei tanto, mas tanto que o Sol bateu na janela do meu quarto! Lembra e vê! Sim, estou vendo agora...

Saudades (porque uma só não faz verão!)...

Então, fique. Mesmo!

[...] por ti e pelas pedras do Arpoador!

===

[Farelos e Sílabas] disse...

===

Rafael:

De-leite, de-pão, de-cafezinho tirado do bule é o cheiro da nossa sintonia, rapaz! Quando estou distraído na varanda, tua palavra vem e ainda leva pedaço quentinho de bolo caseiro em sabor de gratidão!

Entre. Saia. Mas volte, Rafão!

Gosto de tuas histórias, do teu sentir a vida...

Abraços!

P.S.: Sim, é o nome. [rs]

P.S.2: A mãe é mãe também. Gerado no tempo que tinha que ser (não pelo ventre, mas na história de um encontro que veio e não voltou mais!).[rsrs]


===

[Farelos e Sílabas] disse...

===

Dil:

Hehe!
Sabia que irias gostar da fruta-pão! [rs]
Bom [também] é a possibilidade do reencontro.
Qualquer um quando se acendem nossas luzes!
Beijo e axé, amigo baianinho!

P.S.: Sim, vou bem. Felicidade a gente semeia, não?

===

Dil Santos disse...

Sempre semeamos né? rs
Hj começo na natação, estou voltando a praticar, rs.
Se cuida e assim q tiver um tempinho passa lá, rs.
Um bjo carioquinha, rs
:D

Vanessa Monique disse...

Seus textos como sempre nos deixam algo para refletir,tornar a vida melhor.
Gosto mt dessas suas imagens,são sempre fantásticas.

Essa semana é a Semana do Meio Ambiente no meu blog.Venha dar uma lida na Programação Verde.
Te espero lá!
www.fluem.blogspot.com

:*

JotaSP disse...

meu caro,

tenho por ti uma estima sem nome assim_________________________________________________________


sabes?



este abraço teu


GRANDE

Mãezinha disse...

Lindinho, estava lendo seus cometários aos seus amigos e me lembrei de uma coisa. Há dias queria te perguntar:
Cadê a sua vagalumaninha? Realmente ela tá sumida de tudo, né? Quando você tinha orkut ela estava lá e sempre fazia comentários por aqui...

Bem, não foi para isto que voltei aqui, mas sim para estampar a minha felicidade ao receber o meu segundo boletim de Italiano.
Este é referente ao módulo II e já entregaram as notas:
Participação = 100,00
Prova Escrita = 90,00
Redação: = 100,00
Prova Oral = 88,00

Total do Período = 94,50

Que tal? Gostou?
Tenho estudado tanto, mas tanto, que ando sonhando em italiano, pode uma coisa desta?
Dizem que sou elétrica e que te vez em quando é bom eu me desligar da "tomada", só que não consigo, rsrsrs... Hoje a aula foi muito engraçada pois estávamos todas com o risômetro aberto, acabamos colocando o professor sem graça, mas como foi a mãe que começou, tudo acabou bem.

Lindo, obrigada pelas palavras, mas quero conversar com você, viu? Não é só no papel é ao pé do ouvido.

Figlio, fa molto freddo , é una bella giornata.
Grazie mille per tuto!
Un bacio en suo cuore, amore mio.

"Siate perfetti come è perfetto il Padre vostro celeste"

"A lei do eu [...], o dinamismo próprio do eu, que é diretamente derivado do dinamismo de Deus, é amar, ou seja, doar-se ao outro, comovido. Não há dinamismo do eu sem isso"! (Giussani)

Marcos Campos disse...

Descontrole? Isso as vezes faz bem mesmo! Esse controle ou descontrole, vc escolhe qual dos dois... se escolhe, controla?
Sei lá, mas ainda bem que vc saiu, pois exatamente por vc não controlar, ou controlar, é que a noite foi boa! Essa falta de controle, não necessariamente um descontrole, é que traz consigo as surpresas...KKK!!!
Abraço!

Mãezinha disse...

Oi filhão, sumiu de novo?
Mandei um comentário em forma de recadão, você chegou a ler?

Acabei de chegar de uma reunião onde 2 pessoas deram um testemunho maravilhoso. Um missionário argentino e um padre francês. Eles são de um Movimento que se chama Movimento de Compaixão e Consolação. Como o padre fundador desse Movimento conheceu Dom Giussani, eles pegaram alguns exemplos do Comunhão e Libertação e como eles têm amor no coração! É impressionante.
Eles querem amar e resgar a dignidade daqueles que mais sofrem.
Quando você quiser entre no site deles para conhecer, vale a pena.
http://brasil.pontoscoraçao.org

Filho não precisa aceitar o comentário, viu? Escrevo aqui porque sei que é mais fácil de você ler, pois e-mail fica mais difícil para você abrir, não é mesmo.

O outro comentário que fiz em forma de recadão não precisa aceitar também, basta ler e quando você puder me dê pelo menos um "alô"!

Você conseguiu encontrar sua "vagalumaninha"? Li que você já escreveu 3 emails para ela sem retorno. Quem sabe ela mudou de cidade ou de endereço eletrônico.
Insista, pois é muito ruim quando a gente escreve e não recebe resposta, imagino que esteja chateado, mas ela vai voltar, viu?
Ela sempre gostava de dizer que era uma estrelinha, lembra?

Meu lindo, tenho tanta coisa bonita e boa para te contar... Fico na espera de uma ligação para falarmos. Quem sabe consigo, né? Ainda mais que sou insistente.Ultimamente até que não insisto muito e nem deixo mais recado.

Vou me deitar, amanhã preciso levantar muito cedo para começar a faxina na casa. É muita coisa para mim, e sozinha.

Um beijo, meu lindo, amore mio.

P.S. De vez em quando eu entro em alguns blogs de seus amigos e acho o maior barato.
Tô quase fazendo um blog para mim também.
Pensando bem, acho melhor não, pois não vou dar conta de ficar respondendo a infinitos recados.

Wans disse...

Sempre me encanta suas linhas. As belas palavras escritas em textos que muitos de nós sente, mas não consegue se expressar tão bem.

Olhando os recados, não pude deixar de ver os comentáriuos de mãezinha. Me perguntei, é realmente sua mãe? Se for, que coisa maravilhosa essa relação de respeito entre vcs dois. Fiquei muito contente e esperando que algo assim, um dia, aconteça comigo.

bjs, querido.

endim mawess disse...

viajei na leitura sinal que vc escreve bem.

Tânia Meneghelli disse...

Que post delicioso!

Me fez relembrar uma passagem recente, quando não topei o convite de uma amiga pra ir a um barzinho encontrar o pessoal e me dispus apenas a lhe dar uma carona até lá.

A noite também estava gelada, minha cama gritava por mim.

Mas, chegando lá fui tão bem recebida e a animação era tanta, que atravessei a madrugada. Como foi bom!

É isso. A imprevisibilidade é genial. É o que dá a maior graça pra vida da gente.

Beijoca!

Cris disse...

Juro que eu pensei ter comentado este post. Vim ver se tinha novidades(rs) e vi que já havia lido este texto, mas não vi meu comentário.
Caraaaaaaaaaaaaaaaaa, vc me deletou?....rsrsrsrs

vamos lá...compartilhando seus controles e descontroles!!!

A vida é uma surpresa a cada segundo. Quem sabe o que virá daqui um minuto. O que temos é o agora e isso parece tão evidente e repetitivo, mas é a verdade mais primitiva e imutável que existe. Só o agora. Depois? Quem sabe?
se deixar levar ou levar o próximo instante, viv~enciá-lo ou desistir é apenas um fragmento daquele momento: sua decisão.
Bom quando a gente acerta e sente no coração uma sensação de alegria, né?

Super beijo, super semana e controlando ou não...acerte....rs

[Farelos e Sílabas] disse...

===

SAUDADES DE TODOS AQUI!!!

ESTOU VOLTANDO...


===

[Farelos e Sílabas] disse...

===

Dil Santos:

Ô saudades de vir aqui e poder te deixar palavras-sementes!...

Voltei pra te abraçar em meio aos termos dos pronomes, dos substantivos e de qualquer advérbio que ouse permanecer na oração!

Obrigado pelo carinho nas palavras, meu baianinho!

Fique com Deus! Um beijão!

===

[Farelos e Sílabas] disse...

===

Vanessa:

Desculpe, querida. Fiquei tanto tempo ausente daqui que perdi a homenagem que fez durante a semana do Meio Ambiente. Prometo que te farei uma visitinha nas tuas páginas blogueiras pra “consertar” tanto tempo sem te dar respostas...

Pode esperar! Um beijo!

===

[Farelos e Sílabas] disse...

===

JotaSP:

_________ sim, sei.
Fazes-me bem, não sabes?

O-B-R-I-G-A-D-O,

Sempre!

===

[Farelos e Sílabas] disse...

===

Mãe:

Sumido daqui, porém, perto de seu coração. As palavrinhas que me dizia ao pé do ouvido, bem sabe, já as trocamos recentemente durante meu período de ausência por aqui. É sempre bom, né, mãe?

Obrigado por tudo, pelo carinho que te forma e que se desmancha em rios pra dentro de mim!

Lindona, beijo em besos mil!

===

[Farelos e Sílabas] disse...

===

Marcos Campos:

Cara,

Gosto da troca de palavras sem perder o fio da meada... Pois, então, a questão do controle, penso, às vezes é necessária. Do contrário, o descontrole. Não curto o descontrole, embora saiba que algumas coisas não se controlam em nós, não é mesmo? São as tais “surpresas” as quais você se referiu... isso é que é bom! Hehe!

Abração, rapaz!

===

[Farelos e Sílabas] disse...

===

Wans:

Queridão,

Não vou aqui tecer agradecimentos, mas mergulhar no prazer de te perceber um semeador de vida. Leio os teus posts e discirno tanta coisa que te forma, te completa, te traduz um cara que ama e que faz das experiências degraus pra crescer como ser humano. Não te vejo herói, mas humano. Errante e aprendiz. Isso te torna um cara muito bacana, mesmo sem conhecer nada além das palavras...

Tudo isso já deu pra perceber que gosto de te ler. É fato! Um dia escreverei experiências sobre temas que ainda não provo, talvez neste dia me aproxime um pouco mais de alguns prazeres típicos de ser humano que se basta assim (as you do!)...

A mãe, parece-me, já te visitou e deu várias palavrinhas que me pouparão de dizer o mais. Ela é linda. Ponto.

Um beijo!

===

[Farelos e Sílabas] disse...

===

Endim:

Absorvo o sabor das tuas palavras e faço um sinal de feliz. Acho que já deu pra você entender o tamanho da minha gratidão...

Volte quando quiser e puder, e quiser viajar sem pretensão na palavra.

===

[Farelos e Sílabas] disse...

===

Tânia:

Você fala de imprevisibilidade. O Marcos falou de surpresas. E a gente brinca com a certeza que os “acasos” são uma obra-prima que quase sempre nos arranca suspiros. De fato, querida, a graça na vida é saber que ela é sempre mais, pode muito mais, é capaz de ir além do que pedimos ou pensamos...

Palavras deliciosas. Gosto de relatos de gente vestida de carne e osso. É um gostar que seduz, mas também engravida a idéia de satisfação.

Beijo!

===

[Farelos e Sílabas] disse...

===

Cris:

Jamais deletaria o sabor de uma boa presença, imagina!

“O que temos é o agora”. Não é uma aula de física quântica, é a essência da certeza sobre a qual nos debruçamos. Adoro ler o reflexo dessa constatação, querida. Você expõe com maestria sobre nossas necessidades quanto ao tempo-espaço. É o agora que importa. O amanhã, já veio? Não. Portanto, o baile corre por entre os segundos e os dedos das mãos. Vivenciar o chamado instante presente, você já o disse. Confesso que já perdi tempo. Já corri menos do que deveria. Já cantei versos de Adriana Calcanhotto, como quem diz com a alma: “E o meu coração embora finja fazer mil viagens, fica batendo parado naquela estação...”.

Aprendi na caminhada. Aliás, eis-me nelas. Tanto na caminhada quanto na aprendizagem diária. O agora. Eis a decisão que corta o momento, faz dele o “já foi” e o “ainda é possível!”.

No mais, asseguro que sua palavra é um momento enorme de satisfação!

Sempre acertando, ainda que alguns digam “não”, mas indo e sendo,

Um super beijo com ares de gratidão pelos firmamentos, os de cá e os de lá nos limites do tempo!

===

Dil Santos disse...

Cardo menino, tu tá bem?
Gente, tu sumiu heim? rs
Sinta-se abraçado tbm, saudades de vc menino e toma vergonha nessa tua cara e vai me visitar por favor, kkkkkkkkkkkkk
bjão meu carioquinha
:)

Uerlle Costa disse...

Fazia um tempo que eu não aparecia por aqui. Mas nesse espaço virtual visitar seu blog é uma das coisas mais prazerosas que há.Pela dom que você tem de prender minha atenção com suas palavras e com sua forma íntima de expressar seus pensamentos,emoções,sentimentos...e isso é muito bom.
Palavras que eu sempre guardo.
Um abraço.

Uerlle Costa

Devid Castro disse...

Amigo querido como foi bom estar com você nesse dia. Fazia tempo que não te via, como fiquei feliz e surpreso por ter ver lá.
Saudades, imensas de ti.

Beijo.

Abraão Vitoriano disse...

Oi, moço

Estou cá pra te convidar para a blogagem coletiva: “Tempos de criança”, em virtude do aniversário de dois anos do meu blog. A intenção é narrar livremente imagens, memórias e impressões da infância, e no quanto isso foi importante para sua vida. Pode ser em poema ou prosa, como preferir...
Quero comemorar em grande estilo com a participação de todos no dia 16 de Julho (sexta-feira) a partir das 9h00 da manhã. Muito obrigado, e espero sua confirmação até quinta para expor na minha página os endereços dos respectivos blogs integrantes.

Abraços e beijos,
Do menino-homem

Tianne disse...

"Já que falei em lições que aprendemos, uma delas é que o fluxo da vida não pode ser controlado. É necessário que não consigamos controlá-lo!"

sem palavras... perfeito

Dil Santos disse...

Cardo menino, kd vc?
Dê notícias por favor heim?
Bjo meu carioquinha, rs

[Farelos e Sílabas] disse...

===

AVISO COM CHUVA DE CARINHO:

Não pense(m) que esqueci de oferecer respostas aos amigos que por aqui semearam palavras!

Estou voltando, gerundiando...

Aguardem!

Bj!


===

Ana Cavalcantti disse...

Oiii !
Eu tinha essa mania péssima de controlar, posso dizer até que ainda tenho um pouquinho, mas já sou mais aberta para um descontroles.
E eu fui percebendo como vc falou , caindo certas vezes no descontrole e adorando !
Tudo que saia dos meus "sistemas" já tirava meu humor, até que percebi que estava sem vida, sabe...tudo igual e nessa mesma ordem afff....sem emoçoes...hj sou muito mais descontralada hahaha ...!
Coisas que vamos aprendendo né !
A dose certa ninguém tem mesmo, então vou aos trancos e barrancos que eu to feliz rs !!!!!!!!

Beijos

Related Posts with Thumbnails