domingo, 4 de abril de 2010

A todos e a todas neste domingo


Passo por aqui como quem se achega, acena aos amigos, aproxima-se e se assenta o mais próximo. Faço do momento – como sempre me é oportuno - o encontro. E numa espécie de encanto, mágico e sublime pela oportunidade de vir aqui, rabisco palavras extraídas do pensamento pra sorrir nas letras o desejo do que [me] apelido de ‘agora’: feliz Páscoa a todos!

Mesmo sabendo que a data celebra a Tradição cristã nas leituras históricas da paixão, morte mas sobretudo Ressurreição do Cristo, permanece a boa intenção de revisitarmos lições de amor com alguém que só amou. E ponto final.

Se foi condenado por justamente amar, sobretudo os excluídos daquela sociedade (publicanos, samaritanos, meretrizes, leprosos, cobradores de impostos à Roma, etc – e, por extensão, a qualquer que se sinta rejeitado ou excluído), já é um outro aspecto que me foge ao interesse do instante. Quero apenas enfatizar naquele exemplo, muitos e muitos outros – de todas as épocas! – que só amaram e receberam em si mesmos os frutos de tão elevada conjugação verbal-relacional!

Amar nem sempre é fácil, todos sabemos. Amar, às vezes, dói. Há gente que ama e é compreendida. Há gente que ama e não é compreendida. Amar não deveria ter limites, pois quem ama de verdade, ama pela decisão de amar apesar de. Amar traz sempre bons frutos, mesmo que os espinhos machuquem ao longo do processo de frutificação. Por isso mesmo o “amar” não é pra menininhos e menininhas tolos, é pra gente que sabe o que ta fazendo. Como diz meu amigo Márcio Retamero, “a vida não é um comercial de margarina!”. Neste sentido, amar é para os fortes, para os teimosos e perseverantes. É também para os declarados loucos pela incompreensão racional que relativa todas as coisas, mas não consegue relativizar o amor. Amar é. Cada um decida o quê!

Amar é afeto... é acolhimento... é respeito... é refrigério... é perdão e reconciliação... é dar nova chance e sempre dar nova chance... é aprender nas virtudes e nos limites... é Ressurreição e Vida em nós, e é tanta coisa a partir disso!

Tal como iniciei, assim me despeço: Feliz Páscoa! A todos e a todas!


Notas de rodapé: em memória de meu paizinho que me deixou na Páscoa passada, mas ressurgiu numa força estupendamente inspiradora nas boas lembranças, nos aprendizados que agora discirno na pele como bom filho que ele um dia me disse com todas as letras que sou...

Uma homenagem ao poema que é verso rezado na esperança, uma lição que me inspirou neste momento. A oração de São Francisco de Assis na bela voz da diva Ana Carolina.




Queridos, estamos na tarde de domingo de Páscoa. Preciso sair para uma palestra que darei daqui a instantes sobre o Evangelho nas letras de Renato Russo, na Comunidade Betel do Rio de Janeiro. Praia de Botafogo, 430, sobreloja, Rio de Janeiro, bem em frente à paradisíaca Enseada de Botafogo. Beijão em todos!

Alguns vão perceber que a imagem acima já foi tema de artigo no ano passado. Ok, vocês venceram... rs. Páscoa pra mim tem tudo a ver com vida e a celebração que fazemos dela. Eis a razão de ser da imagem na ilustração deste post. Ela exemplifica o sentido que empresto ao tema. Ah, sim, a imagem original intitula-se “Heartbeat”. Retirei-a de um postcard, mas não continha os dados do autor.

15 comentários:

Uber Expresso disse...

Sem palavras para descrever esse post... muito obrigada... e para ti: Bom Recomeço!!! Beijos e Feliz Páscoa!!! Roberta

Cris disse...

Duas palavras fortes e cheias de caminhos e exigências. Duas promessas, mas duas batalhas para todo ser humano: amor e ressurreição!
Tudo é luta, realmente e deve ser a luta do bem...o Bom Combate!
Não saberia definir o amor, mas saberia definir a ausência dele!

Ainda estou em tempo: uma Páscoa cheia de luz, VIDA e paz para vc e toda sua família.
Beijos

Dil Santos disse...

Oi Cardo, tudo bem com vc?
Desejo umas Páscoa repleta de saúde, prosperidade para vc e sua família. Q Deus possa derramar sobre vc's todasas bençãos.
Tem post novo lá heim? rsrs
Um bjo querido
:)

Mãezinha, Anna Maria disse...

Filho, muito obrigada pelo carinho dirigido a "todos e a "todas".
Me incluo em "todas" e retribuo com muita ternura o desejo de uma Feliz Páscoa.

Lendo todo o seu texto, sinceramente nesses ultimos dias que você escreveu, este foi o melhor de todos.

Quando li este pedacinho, eu refleti muito e pensei em tudo que aprendi no retiro do MCL na sexta-feira Santa:

"Amar nem sempre é fácil, todos sabemos. Amar, às vezes, dói. Há gente que ama e é compreendida. Há gente que ama e não é compreendida. Amar não deveria ter limites, pois quem ama de verdade, ama pela decisão de amar apesar de. Amar traz sempre bons frutos, mesmo que os espinhos machuquem ao longo do processo de frutificação. Por isso mesmo o “amar” não é pra menininhos e menininhas tolos, é pra gente que sabe o que ta fazendo."
Que lindo e verdadeiro!

Alguns dias atrás eu escrevi sobre o amor que dói, quando esse amor não é correspondido. Quando esse amor é um amor de mãe para filho e que tantas vezes essa mãe chora ao acordar de madrugada lembrando a ausência de um filho, ausência de um amor que se foi...
Realmente o "amar é para os fortes, para os teimosos e perseverantes."

Sim, meu filho, muitas vezes uma mãe sente falta de ouvir um "eu te amo", da bôca de um filho...
Parabéns pelo texto, que me fez refletir, principalmente com relação ao amor. Amar dói e muito!

Queria só escrever algo que me tocou profundamente no retiro que fiz do MCL, na sexta-feira.Fui muito provocada pelo infinito e incondicional amor de Jesus, e foi este amor Dele que me tocou em um momento de tristeza e que me fez ver quantas coisas tenho dito, falado e pensado... sem me perceber que acabo me machucando.

Obrigada, meu filho, pelo texto tão sincero, pois te conhecendo, eu entendi o que você quis dizer entre linhas e o quanto esses escritos têm me feito bem.

Fico aqui deixando um pouco do Dom Giussani:
"Eis portanto o ponto: Deus se comoveu com o nosso nada. Não só: Deus se comoveu com a nossa traição, com a nossa rude pobreza mesquinha, esquecida e traiçoeira pobreza, com a nossa mesquinhez... como um pai e uma mãe que choram de comoção, com um pranto totalmente determinado pelo desejo do bem do filho, do destino do filho. É uma compaixão, uma piedade, uma paixão. Teve piedade de mim"!

Boa noite, meu filho, e uma abençoada noite.
Mãezinha

P.S. Se você tiver um tempinho me conte, como foi a sua palestra sobre o Evangelho nas letras de Renato Russo. Achei interessante e muito sugestivo.

Mãezinha, Anna Maria disse...

Filho, voltei porque me esqueci de colocar esta frase que Julián Carrón
falou no encontro em São Paulo.
É uma frase que me tocou profundamente:

"Não cultivar projetos de perfeição, mas olhar Cristo no rosto." (Julián Carrón)

Beijinhos mil da mãezinha mineira que não te esquece.

Dil Santos disse...

Oi Cardo, tudo bem?
Menino, Vinícius é maravilhoso, adoro, tem um poema dele, q acho fantástico, chama-se Tomara. É perfeito ele, fora os sonetos que são incríveis.
Obrigado pelos votos de feliz Pácoa, pós-Páscoa
kkkkkkk
Bjo querido
:)

[Farelos e Sílabas] disse...

===

Roberta:

Como seres que se [re]inventam, digo:
A todos nós, um bom [re]começo!
Feliz Páscoa, diariamente! Beijos!

===

[Farelos e Sílabas] disse...

===

Cris:

Você disse bem: não sabemos definir o amor.
O amor não se define, mas se vive...
Amamos, mas não somos o Amor.
Fato é que somente o Amor é!
Nós, estamos-sendo...
Por isso, amamos...
Obrigado, querida!

===

[Farelos e Sílabas] disse...

===

Dil:

Meu baianinho, te dou sorrisos daqueles gratos! São teus! Este é o meu presente pela tua presença-presente aqui!

Beijão! :)

===

[Farelos e Sílabas] disse...

===

Mãe:

O amor é sempre amor. Quando se ama, se ama. A questão é que cada um discerne pra si “como” vê-sente-discerne-propaga o amor que tem. Ele é, portanto, pessoal conforme o olhar na existência. É por isso que não podemos dizer, por exemplo, que alguns parecem não amar. Ou ama-se ou não se ama. Mas há muitas formas de amar porque muitos são os sentires. E, claro, muitas são as individualidades...

Há gente que nos ‘parece’ não amar, mas, talvez, amem de fato. Nós é que não podemos projetar no outro o nosso “como amar”. Tem gente que ama baixinho... Lulu Santos tem uma canção que diz: “eu te amo calado como quem ouve uma sinfonia de silêncio e de luz”.

Mudando de assunto...

Sim! Sim! Sim! Estás incluída no meu sentir sobre a Páscoa que desejei!

Obrigado pelo carinho-SEMPRE-presente, pelas palavras, pelo encorajamento que chega FORTE, mesmo no poder do silêncio, pelas palavras de Giussani, pelos exemplos de vida, pelo toque na reunião da sexta-feira passada (e aqui compartilhada), enfim, pela dádiva da PRESENÇA!

Beijos eloqüentes pra romper, de vez em quando, o silêncio da presença!

P.S.: Depois falarei da palestra. Teremos a segunda parte no próximo domingo!

===

Dil Santos disse...

Oi Cardo, como está?
Menino, obrigado pelos sorrisos, adoro, ainda mais quando são verdadeiros de pessoas queridas
um bjo
:)

[Farelos e Sílabas] disse...

===

Outro(s) pra ti, baianinho!
Outros, não. Vários, amigão!
:)

===

RAFAEL disse...

Como é bom ler quem escrve bem...

Obrigado pelo comentário deixado no meu blog, obrigado pela visita.

Vc tem uma narrativa excelente nos seus textos...coeso em todos os pontos...Parabéns.

abraço

[Farelos e Sílabas] disse...

===

Rafael:

O convite tá de pé, e dou fé: volte sempre!
No meu abraço, o segredo da gratidão! :)

===

Amon Ribeiro disse...

Ola!! Muito bons seus textos!! Cativantes e inspiradores. Fiquei curioso.. como foi a palestra?! promete que conta no proximo post? abs e muito sucesso!

Related Posts with Thumbnails