quarta-feira, 13 de maio de 2009

Maio e seus significados


Maio é cheio de significados nas datas de minha família. Cada um deles, pra mim, corresponde a uma folha ou, quem sabe, a uma pétala. O mês inteiro é tal qual uma grande árvore vestida de flores. São datas de vários aniversários, a começar pelo de minha mãe, passando pelo irmão, pelo sobrinho, tias, mas são como folhas que também marcam aniversários de casamento, entre tantas realidades que agora fazem parte de minha história. Em maio tive o primeiro mês de ausência de meu pai, que, indubitavelmente, está presente diariamente nas muitas e gostosas lembranças que nutrimos. Se me permitem o parêntese plantado em meio ao texto, meu coração alcança a lembrança que ficou. Meu pai era extremamente cômico, fazia piada de tudo na vida, até da morte. Nunca o vi ter medo de nada na vida, exceto na véspera de seu falecimento quando me segredou em sussurro: “tenho medo”. Enquanto segurava seus braços, disse-lhe: “o senhor não precisa ter medo, eu tô aqui”. Muito mais do que este relato de últimos dias, o que mais me marcou nele foram os muitos exemplos de coragem e sobretudo as vezes em que me rasguei de rir com as piadas que soltava de tudo. Era um pândego atestado por toda a família! Pois, é. Maio é mês de me lembrar como um mês passado é uma eternidade em “slow motion”...

Maio é também reconhecido como mês de algumas conquistas históricas. A principal delas tem a ver com nossa História, pois exatamente no dia de hoje comemora-se a promulgação da Lei áurea, abolindo a escravatura oficial neste país. As demais escravidões, infelizmente, permanecem manchando o ideal de liberdade que carregamos como filhos deste solo. É vergonhoso afirmar o que afirmo, mas não há nada contra a verdade senão pela verdade. A Procuradoria do Trabalho em parceria com setores do Ministério do Trabalho e Emprego e do próprio INSS [ainda] articulam ações contra a exploração do trabalho escravo (adulto e infantil) em muitas regiões desta Mãe Gentil. Em muitas localidade paupérrimas deste solo (como alguns bolsões de miséria no Nordeste, nas cidades satélites do Distrito Federal, no vale do Jequitinhonha e no interior do estado do Amazonas, de Rondônia e do Pará) ainda se vêem mães vendendo algumas horas com seus filhos (meninos e meninas) pré-adolescentes na prática da exploração sexual. Espalhados por várias cidades também estão os crimes praticados contra a vida de centenas e centenas de homossexuais, vitimados pelo azorrague da homofobia. A miséria por si só já é uma escravidão que atenta contra os direitos “básicos” que a Carta Magna assegura que todo cidadão pode e deve ter no seu artigo 5º. A escravidão também se estabelece no emperramento da aceitação do outro, seja ele quem for. Tal perversidade é comparada a uma senzala dentro da qual ficam os maus tratos contra o direito de existir do outro (sendo este outro um outro semelhante, ainda que seja diferente), o bom senso, a pluralidade em todos os seus campos, enfim, contra a própria democracia e o estado de Direito. As escravidões em suas diversas formas de apresentação se espalham numa velocidade impressionante.

Minha reflexão segue tecendo fios e cordas de todos os lugares, modos e pensares, no sentido de buscarmos voz e vez para que a Mãe Gentil, através dos filhos deste solo, empenhem-se para que a Pátria continue sendo amada, e não apenas por mim, mas por cada um. Independentemente de como seja, esteja ou pense o cada um que também existe e colhe o mesmo ar que colhemos.



P.S.: Agradeço o carinho daqueles que me incentivam a vir aqui e soltar farelinhos com novos textos [estava em falta, confesso].


19 comentários:

Mãezinha, Anna Maria disse...

Bravo!
Cada vez que você vem colocar seus farelinhos, meu filho, a mãe cá das bandas mineiras, fica euforica e doida para ler e aprender.
Sim, aprender com meu filhote carioca, gerado em 2000 no meu coração. É lindo demais!

Você realmente tem tudo de bom, dentro dessa cabecinha. Coloca para fora tudo aquilo que mexeu com sentimento, com afeto, com trabalho, momentos tristes e alegres, preconceitos, exploração sexual, e infinitas discordâncias, etc...

Seu paizinho era um grande homem e tenho certeza, deixou saudades...

O restante do texto, para mim, é um verdadeiro aprendizado.

Mês de maio, mês que é dedicado às mães. Na igreja católica é comemorado também o mês de Maria (Mãe do nosso Salvador). Tudo isto é muito significativo quando temos a liberdade de expressar os nossos sentimentos, sem nenhum preconceito religioso.

Mais uma vez, meu filho, parabéns pelo belíssimo texto.
Com carinho, beijos.
Mãezinha mineira, Anna Maria

P.S. Filho, além de amar seus textos, amo ler também e o meu atual livro é "A Cabana" de William P. Young.
Neste livro, ele conta uma "[...]história que deve ser lida como se fosse uma oração - a melhor forma de oração, cheia de ternura, amor, transparência e surpresas".

Primeiro lugar na lista dos mais vendidos do The New York Times.

JotaSP disse...

Sinto a tua falta_________________ fazes falta___________________

Sabias?

Renata Nogueira disse...

Oi Evandro! Obrigada pela visita! Volta lá hein!!!
Gostei daqui tb!
Um abraço
Renata

Denise disse...

Não encontrei aqui farelos,encontrei flores,com direito a petalas ,perfume,textura e espinhos,esses mesmo que me cutucaram e fizeram questinar meus preconceitos e o tanto que tenho a aprender.
Encontrei tb tanto ,mais tanto conteudo e tanta sensibilidade que estou ate agora "cismando e esmiuçando " as suas e asminhas lembranças.
carinhos emocionados

De

Dany disse...

Ótimo texto, ótimas lembranças, ótimas datas e comemorações...
por essas e outras, tenho mto orgulho de ter nascido no mês de maio!

bjoss

Laila Braga disse...

essa inversões de papel entre pai e filho são de extrema curiosidade. "As datas, fatos e aniversário". Lembranças... Importância... Costumam tem um gosto todo especial. Não bons,nem ruim... Só especial... Um gosto inexplicável que gostamos de sentir...

CARLA ROCHA disse...

Belo texto,como sempre! Feriado de luz pra você!

Desarranjo Sintético disse...

Olá!
Realmente, nosso país, nossa Mãe Gentil, tem muito ainda o que melhorar, muito o que fazer, e mesmo eu o amando, muito o que resolver. É mesmo cruel pensar que mesmo com um a lei institucionalizada, a escravidão ainda possa existir por aqui, e a exploração também, de tantas e diferentes maneiras, desde a mais cruel até a mais cínica e disfarçada(alguém falou política??).
Mas como bom Brasileiro, o jeito é ter esperança, lutar e batalhar e correr atrás para ajudar a colocar as coisas nos lugares e buscar um pouco mais de justiça para todos.

Fábio.

- rafael 777 disse...

Opa, gostei do seu blog, olha o meu http://thelifeplaysinaplayground.blogspot.com

Topa a troca de links?

add no msn : rafael--777@hotmail.com

_DrigãO_ disse...

Seu blog é angustiante e você parece ser alguém extremamente inteligente. Espero que tudo fique bem ^^.

Abços.

[Farelos e Sílabas] disse...

...

Ô mãe! Saudadonas de ti, ao menos, de responder-te por essas bandas e em meio a tantos farelos saborosos ao pensamento!

Mesmo que a resposta tenha vindo após o mês de maio, fica guardada na lembrança a certeza do meu AFETO!

Beijão!

P.S.: Conheci a obra por intermédio de uma amiga, que me indicou há uns meses atrás. Legal é o desfecho do enredo!


...

[Farelos e Sílabas] disse...

...

Jota SP:

Ah!

Não direi mais nada... ficarás com o absorto de minha felicidade!

Eis os braços na tua direção. Grato, muito grato ao retornar...

...

[Farelos e Sílabas] disse...

...

Denise:

Carinhos despejados nas tuas pegadas, correndo ao encontro pra deixar-te palavrinhas grávidas de gratitude. Sabe, as flores sempre fizeram parte de todo este sentir. Vejo flores nas palavras, mesmo sabendo que são alimentos farelados entre as sílabas prenhas de significados (ao menos pra mim)...

Volte, quando desejares. Traga outras flores. Formemos um jardim de experiências.

Num abraço, a palavra: gentileza. A ti!

...

[Farelos e Sílabas] disse...

...

Dany:

Continues orgulhosa de tantas datas, lembranças e comemorações, entre essas e as que virão, certamente, pra somar aos muitos maios [os que já passaram e os que não passarão, nem passarinho] com sentires como estes!

Beijos saudosos como lembrança que se faz carinho pela gratidão das palavras!

...

[Farelos e Sílabas] disse...

...

Laila Braga:

E a vida não nos causa tanta admiração por essas e outras? Os papéis, quantas vezes, são trocados sem nem que nos apercebamos... O importante é sempre caminhar, prosseguir, não importa de que jeito. Vou vivendo e amando assim, desse jeitinho... Cada dia se torna especial, portanto diferente... é o gosto inexplicável ao qual te referiste...

Obrigado e volte sempre!

...

[Farelos e Sílabas] disse...

...

Carla Rocha:

Recebo com braços abertos, desejando-te serenamente que haja sempre i-LUZ-minação no teu ser, seja neste ou em outros tantos [bem-vindos] finais de semana!

Obrigado pelo Bem que me chega no sabor das palavras!

...

[Farelos e Sílabas] disse...

...

Fábio [Desarranjo Sintético]:

Eis o porquê de não desistirmos nunca, sendo ou não brasileiros natos. Pra que desistir, não é mesmo? Há diante de nossos olhos o cenário da Vida que é tão bela, que nos impele ao serviço, nos constrange a insistir que é possível, que vale a pena, que precisamos...

Sê tu, sejamos nós, pitadas de sal pra fora do saleiro na existência. Ponhamos tempero do Bem neste grande sopão de injustiças!

Abraço fraterno, rapaz!

...

[Farelos e Sílabas] disse...

...


Rafael:

Topo a troca sim, rapaz. Bom te receber aqui! Volte, se desejar, ok?


...

[Farelos e Sílabas] disse...

...

_DrigãO_:

De início, um punhado de farelos formando a palavra de agradecimento pela visita!

Pra completar, a certeza que as coisas se revestem da Bondade que me cerca. Dia a dia, cada vez mais clara, ao meu entendimento.

Abraço(s)!

...

Related Posts with Thumbnails